História da Capela

A Capela de São Pedro está situada no alto de uma colina, no bairro Monte Alegre, em Piracicaba, SP. O grande número de imigrantes italianos que trabalhavam na Usina de Monte Alegre, na década de 1930, fez necessária a construção de uma igreja católica na região. Pedro Morganti, o proprietário da usina, contratou o engenheiro italiano Antonio Ambrote – também mestre de obras do teatro municipal de São Paulo – para construí-la.

Seu jardim foi projetado por Philippe Westin Cabral de Vasconcellos, também idealizador do paisagismo da ESALQ. O interior da pequena igreja foi ornamentado com obras do pintor modernista Alfredo Volpi, que contou com a colaboração do pintor Mário Zanini e do preparador de tintas Aldorigo Marchetti para decorá-la. Os trabalhos de pintura duraram quase um ano e a capela foi inaugurada em dezembro de 1936 para o batizado de Marisa Morganti Ayroza, uma das netas de Pedro Morganti. Em 4 de janeiro de 1937, Dom Francisco de Campos Barreto, Bispo de Campinas, concedeu licença para a bênção da Capela. A igreja, que sempre pertenceu a particulares, foi tombada como patrimônio histórico pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Piracicaba, (CODEPAC), em 1991.


Características da obra

Com planta elaborada em formato de cruz, a Capela de São Pedro foi inspirada por uma igreja de Bozzano, na Itália, terra natal de Pedro Morganti. Sua construção segue o estilo neorromântico, com paredes externas imitando pedra, arcos lombardos e lesenas, cúpulas, pequenos vitrais e altares feitos de mármore trazidos da Itália.

O interior da obra abriga aproximadamente 600 metros quadrados de pintura, que cobrem paredes, teto e colunas. As paredes têm como tema a hóstia, o amanhecer (representado por um galo), o símbolo papal, as chaves de São Pedro, o Divino Espírito Santo e a Aleluia. Na cúpula, o artista destacou os quatro apóstolos: Mateus, Marcos, Lucas e João. Com abóboda que reflete o som, a capela tem acústica considerada perfeita.



Galeria de fotos